(Secção inactiva)

Dados Históricos

A Secção de Preservação e Conservação foi constituído em Janeiro de 1992 e o seu aparecimento oficial aconteceu durante o 4º Congresso Nacional BAD em Braga. A área temática que a Secção cobre não havia sido ainda contemplada pela BAD e pareceu, a um conjunto de associados, que era importante ocupar aquele espaço de forma a estudar a situação portuguesa, a publicar ou divulgar obras sobre a mesma temática que, lentamente, ia ocupando uma fatia, cada vez mais significativa, das nossas preocupações. O estado de deterioração, ou abandono, o risco que paira(va) sobre as colecções à guarda de bibliotecas e arquivos era, então, real como hoje. Então, como agora, a situação continua preocupante e as poucas diferenças prendem-se com o facto de, e de modo sensível, haver mais colegas alertados para os perigos que espreitam. O que se fez não foi muito e foi um pouco desordenado. Urge alinhar os esforços e canalizar as nossas actividades de maneira a que possamos, a curto prazo, começar a sentir que a nossa intervenção resulta e chama a atenção as entidades responsáveis.

 


Missão

A Secção de Preservação e Conservação entende como a sua missão:

  • Desenvolver no âmbito da BAD a consciência para os problemas da preservação e conservação existentes nas bibliotecas e arquivos;

  • Promover a formação profissional indispensável à instauração ou prossecução de acções no âmbito da preservação e conservação nas bibliotecas e arquivos;

  • Intervir a nível nacional em acções conducentes à definição de uma estratégia global em matéria de preservação e conservação em bibliotecas e arquivos.

 

Objectivos:

A Secção de Preservação e Conservação tem os seguintes objectivos principais:

  • Formação - Não é possível sem a aquisição de uma formação sólida sobre os problemas de preservação e conservação ter a veleidade de combater as situações de perigo para as colecções existentes tanto em arquivos como em bibliotecas. É imperativo que os profissionais BAD adquiram sensibilização e formação para os problemas da preservação e conservação percebendo, e aceitando, a sua identidade como bibliotecários e arquivistas, definindo claramente o seu campo de actuação que nunca deverá sobrepor-se, ou encobrir, o trabalho dos conservadores-restauradores. Entre os dois tipos de intervenção deverá existir, com benefício mútuo, complementaridade.
     

  • Divulgação - A intervenção da Secção deverá caracterizar-se por uma acção aberta e descentralizadora. A informação recolhida sobre acontecimentos, publicações, reuniões científicas de qualquer âmbito, o conhecimento de todo o tipo de dados que possa constituir fundamento para o fortalecimento de uma intervenção sistemática e orientada no sentido da salvaguarda do nosso património, será uma das tarefas principais do GT já que o desconhecimento, a sonegação da informação e a não-informação constituem a base do atraso que identificamos e contra o qual nos manifestamos.
     

  • Actividade Editorial - Tão importante como "passar a palavra", a actividade editorial transporta uma componente formativa indispensável. Seja sobre o suporte tradicional, seja recorrendo aos suportes electrónico, é decisivo para a Secção que os associados da BAD e outros colegas tenham acesso a um conjunto de informação escrita que lhes possa ancorar as decisões em que fatalmente se verão envolvidos. De preferência esta actividade deveria basear-se em trabalhos originais por autores portugueses mas, não o podendo ser, pelo menos que se usem as traduções ou os originais noutras línguas para difundir os conhecimentos técnicos que nos faltam.
     

  • Identificação da Situação Portuguesa - A Secção já fez qualquer coisa neste âmbito mas é agora necessário aprofundar as conclusões então reunidas e avançar no sentido de perceber de forma mais clara as dificuldades em que o nosso trabalho se desenrola de forma a encontrar alternativas que tenham em conta as espécies documentais pelas quais zelamos.
     

  • Visitas de Estudo - Fazem-se visitas não só para ver in loco soluções de sucesso. As visitas de estudo também servem para discutir com os colegas soluções menos conseguidas e que, sem envolver críticas fáceis, ninguém quer repetir. Sempre que possível, a Secção organizará visitas de estudo que não serão exclusivas aos membros da Secção.

 

Actividades Desenvolvidas:

Parece interessante e útil descriminar as actividades desenvolvidas, incluindo a actividade editorial, pela Secção desde 1992:

  • Mesa Redonda sobre Preservação e Conservação, durante o Congresso em Braga (1992), com a presença do técnico francês da Bibliothèque Nationale (Paris) Jean-Marie Arnoult;
     

  • Organização do n.º 2 (1991) dos Cadernos BAD dedicados à temática Preservação e Conservação;
     

  • Publicação da folha informativa "Não perca páginas de História" (n.º 1, Maio 1992, n.º 2, Abril 1993);
     

  • Exposição de conservação e restauro: mostra de documentos impressos e manuscritos, 1993, em colaboração com o Gabinete de Estudos Olisiponenses. Produção de marca de livros;
     

  • Tradução e edição do livro de Françoise Flieder e Michel Duchein Livros e documentos de arquivos: preservação e conservação, 1993;
     

  • Publicação do cartaz Não Perca Páginas de História, 1993;
     

  • Tradução para português do guião do vídeo Slow fires da responsabilidade da Commission on Preservation and Access, Washington DC, 1994;
     

  • Tradução e edição de 6 folhetos sobre Preservação e Conservação (Encapsulmaneto, Acondicionamento em caixas, Conservação de material fotográfico, Preservação / recomendações, Bolor, Recomendações de segurança) (disponíveis na Biblioteca da BAD) editadas originalmente pelo National Preservation Office (British Library, London), 1994;
     

  • Organização de Seminário sobre Preservação e Conservação, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, no âmbito do Congresso BAD, 1994, Lisboa;
     

  • Edição do livro de Ana Maria Bandeira Pergaminho e papel em Portugal, 1995;
     

  • Organização, levantamento e edição do estudo Inquérito sobre o estado de conservação do património arquivístico e bibliográfico em Portugal (disponível na Biblioteca da BAD), 1999;
     

  • Acção de formação sobre Preservação e Conservação (2), Lisboa, 2001.

 

Plano de Actividades 2001-2002

A Secção definiu como metas para o período Junho 2001 - Junho 2002:

  • Acções de formação no âmbito do Plano de Emergência e Controlo de Pestes e Higienização das Colecções que deverão se realizar em Coimbra;
     

  • Realização de Visitas de Estudo (Previsão de uma visita ao Centro Português de Fotografia);
     

  • Publicação do manual Prevenção contra desastres;
     

  • Preparação de Directrizes em Preservação e Conservação;
     

  • Prossecução dos contactos com biblioteca e arquivos conforme conclusões do Inquérito sobre o estado de conservação do património arquivístico e bibliográfico em Portugal (1999).


 

Logo BAD com link para Home Page
©
APBAD 2004  |  Actualizada em 13-09-2010